[RESENHA] ILUSÕES PESADAS

Por: Bruno Marukesu - 10:00

Autor (a): Sacha Sperling
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2011
Lido em: junho de 2017
Nº de páginas: 176
Onde Comprar: AMAZON

Um garoto que mal completou quinze anos já se sente vivido o bastante para contar sua vida, em especial tudo que se passou com ele um ano antes, numa fase de profunda crise existencial.
E ele tem mesmo o que contar, começando por suas explorações sexuais com garotas e com um garoto de sua idade, o pasoliniano Augustin, que tem um pé na delinquência e virá a ser seu primeiro grande amor. Não faltam as epifanias nem sempre luminosas, obtidas às custas de muito álcool e drogas, desde maconha até cocaína, passando por anfetaminas e calmantes de farmácia.
O belo, inteligente, aloprado e algo neurastênico Sacha (personagem e autor ostentam o mesmo nome) nos dá livre acesso aos meandros mais íntimos de sua subjetividade adolescente. Sinal dos tempos hiperacelerados que vivemos, o livro de Sperling fala direto ao coração do leitor, que estará sujeito a boas gargalhadas com as insolências desse burguesinho da pá virada que pinta e borda, se desespera e amadurece na rive gauche parisiense.

 ILUSÕES PESADAS é narrado em primeira pessoa pelo protagonista Sacha Winter de catorze anos que vive uma vida nada exemplar. Com uma mentalidade decepcionante acompanhamos a vida desse jovem rebelde que pouco a pouco vai se afundando a medida que conhece uma pessoa que palpita o seu coração: Augustin.

 Iniciei a leitura esperando ver um romance tórrido acontecer e duas almas se fundirem numa só, mas isso foi uma ilusão que criei e alimentei. Tentei não criar expectativa, mas antes mesmo de ler o primeiro capítulo já estava suspirando achando que, sim, iria ver dois jovens descobrindo o amor. Entretanto, não é isso que é apresentado.

 Sacha é um garoto inconsequente que vive o dia de hoje sem pensar no amanhã, que se arrasta pela vida sem de fato vivê-la e tem amizades tão frágeis que falar de sentimento é algo banal e desnecessário para eles. São jovens buscando ser descolocados, sem importar com nada e não prestando atenção nada, não parando para pensar em como suas atitudes afetam os outros ao seu redor.

 Ver uma pessoa nova se afundar num mundo onde nada é o que rege me foi muito incomodo. A toda hora escarafunchava à procura do estopim que fez a vida de Sacha decair e devo confessar que não encontrei. O personagem soube muito bem esconder.

 Afinal, ele não busca ser entendido, não quer ser estuado, somente deseja compartilhar sua vida e não importa o que as pessoas iram pensar.

 A crueza no modo de tratar o uso de drogas e bebidas alcoólicas na adolescência foi algo incomodo. Sabemos que é errado e gritamos para que os personagens percebam isso, mas não tem ninguém de exemplo para isso. Ninguém os detém. As lojas não se importam em vender as bebidas para os adolescentes. É o capitalismo.

 Tentei ao máximo não julgar Sacha mas foi impossível. Toda ação que ele faz é impulsiva. Vemos sua mãe se afundar em desespero à medida que percebe que o filho está indo para o caminho errado, mas também vemos a negligência ao constar que ela não faz nada para impedir o filho, que ele praticamente manda nela. Vemos uma mãe deixando o filho crescer com seus erros, mas esquecendo que proibir, cortar privilégios, pode ajudar a salvar uma pessoa de se flagelar.

 Não vi o personagem querendo se salvar. Ele não busca salvação. Vemos alguém nutrindo um amor fantasioso que acredita acontece, mas que se decepciona quando a realidade lhe dá um soco forte na boca do estômago.

 Seria mentir dizer que ILUSÕES PESADAS foi uma leitura prazerosa. Pelo contrário, foi um enredo que tentei mastigar para compreender o personagem, mas que conclui a leitura revoltada com as atitudes do jovem. A obra pode até ser uma denúncia da ruína que os jovens podem sofrer, mas não trouxe nenhum ponto para salvação, somente expôs uma pessoa não querendo ser salva, não se importando com nada. E isso ainda com quatorze anos de idade, imagina quando chegar na casa dos vinte!

 Com narração em primeira pessoa, a obra possuí páginas amareladas, capítulos curtos e fonte de letras num tamanha agradável para leitura.

Se você gostou também vai gostar de:

10 comentários

  1. Oiee Bruno ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas como não suporto personagens inconsequentes como o Sacha, que agem não pensando nos outros e nem mesmo em si mesmos, não sei se o leria. Ainda bem que o livro é curtinho, né? haha' nem a sinopse me prendeu, mas acho que eu o teria lido criando muitas expectativas (para encontrar um romance, principalmente) se o ganhasse.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não é o tipo de livro que me atrai e acho que você descreveu exatamente tudo o que eu pensaria sobre a leitura. Sabemos as questões e corretas e ficar lendo algo meio massivo não é tão legal.Gostei da sua análise.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Pelo visto o livro retrata puramente a realidade. Quantos jovens não vemos por aí exatamente assim. Realemtne deve ser uma leitura dificil de engolir, assistir uma pessoa se auto flagelar e não se importar em tentar mudar isso.
    Achei um livro interessante, mas não sei se leria no momento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi. Não parece o tipo de leitura que me agradaria. Gosto desses temas nas obras, mas quando eles trazem alguma coisa de aprendizado, o que não parece ser o caso. Que pena que o enredo foi tão cru e te deixou terminar com uma revolta.

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Que pena que a leitura não te agradou, também não curto livros onde os personagens fazem coisas erradas e não se dão conta, ainda mais adolescentes inconsequentes. Fico agoniada também. Passo a dica 😕

    ResponderExcluir
  6. Oie amore,

    Não conhecia o livro até então, mas já me encantei desde a capa até o conteúdo do livro que parece ser bem legal.
    Curiosa pra conhecer melhor a história, dica anotada por aqui!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Não conhecia esse livro até ler sua resenhas, mas ele não me deixou muito interessada, principalmente após saber que o jovem não quer ser salvo e a leitura só 'expoe o problema'.
    Mesmo assim, ótima resenha

    ResponderExcluir
  8. Oiii tudo bem??

    Adorei a capa, e o livro já diz tudo "Ilusões Pesadas"
    A idade do adolescente ja condiz a realidade de não fazer as coisas certas e agir por impulsividade. Estamos acostumados com adolescentes rebeldes d+ ou bonzinhos d+.
    Mas a fase da vida é muito conturbada, e acredito que talvez esse livro traga um adolescente real, mas não li para poder tirar essa opinião.
    Que pena que a leitura foi difícil, adoro leituras que nos causam desconforto, preciso ler esse livro.
    Adorei a resenha.
    Bjs Rafa

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruno! Tudo bem?
    Achei a proposta do livro excelente e acredito, pelo que tu dizes na resenha, que esse livro somente exponha o problema por um motivo especial: fazer com que o leitor pense em que soluções ele poderia imaginar se fosse ele na situação. Até porque eu acredito que cada situação exige uma abordagem diferente.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?
    Achei a proposta do livro bem interessante, ainda mais que toca na ferida e incomoda com a forma que aborda as temáticas, mostrando algumas realidades como são, ainda que erradas. De fato, não parece uma leitura prazerosa, mas me pareceu bem necessária. Adorei a resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião para nós do Refúgio Literário