DE POETA DO SERTÃO A VENCEDOR DO JABUTI: UMA CONVERSA COM MAILSON FURTADO

Por: Salvattore Mairton - 00:59


Mesmo em meio a correria após a premiação, afinal Mailson foi o primeiro autor independente que levou o Prêmio Jabuti de Livro do Ano, o autor conseguiu conceder uma conversa espontânea com o Refúgio. Com respostas claras e bem sinceras, conhecemos mais a fundo o criado de "A Cidade".

"A vida depois do Jabuti, mudou a rotina, ficou doida. Falar de poesia e literatura independente tem sido gratificante..." afirma o autor.

Aos 27 anos, Mailson escreveu "A Cidade" completamente à mãos, e cuidou de cada detalhe desde a capa até a diagramação. O autor até tentou publicar por uma editora, porém das que enviou proposta, apenas uma respondeu com um "não", as outras nem sequer deram seu veredito.

"Uma das dificuldades iniciais sempre é o descrédito quando você vai apresentar seu trabalho. A dificuldade maior está na distribuição e venda, já que você tem que ter um nome para vender..." relata o autor.

O livro "A Cidade", é um poema que retrata a história de Varjota no Ceará, cidade onde vive Mailson Furtado. E mesmo com as dificuldades para publicar e vender os 300 exemplares iniciais, o autor nunca desistiu.

R.L - Como foi sair de autor de fundo de livraria para destaque nas vitrines?
Mailson - Estar podendo vender livro, antes algo inimaginável, antes apresentava o livro e ninguém via, e hoje te procuram, o prêmio Jabuti trouxe isso. E espero que não se reflita só em mim, mas em todo mercado independente.

R.L - Nos diga, qual a sensação de estar agora entre os grandes nomes que já ganharam o Jabuti?
Mailson - Uma alegria imensa estar nesse hall gigantesco de nomes. Incrível me encontrar hoje entre aqueles que me formaram quanto leitor. Mas sempre tive cuidado de me policiar quanto a vaidade. 

R.L - Como foi a volta para Varjota após a premiação?
Mailson - Esse foi um dos grandes momentos da minha vida. Nunca tive quatro dias tão diferentes um do outro. Sair sem ninguém saber e voltar com com todo mundo querendo te abraçar, é incrível. Todo mundo ali pleno meio-dia, sol à pino, esperando para o desfile em carro aberto.

R.L - De onde surgiu a idéia de "A Cidade"?
Mailson - Foi um trabalho totalmente diferente do que já fiz, o meu primeiro poema longo. O motivo veio da experiência que tive com Ariano Suassuna em a Pedra do Reino. A forma como ele apresentou o sertão paraibano e pernambucano foi tão profundo, que quando tive a oportunidade de visitar, era como já estivesse estado ali. E eu queria marcar meu lugar literáriamente nas pessoas. Foi assim que em novembro de 2015 surgiu "A Cidade".

R.L - Você acha que ainda ha rejeição pela literatura nacional?
Mailson - Sinceramente acho que não. Mas tenho uma crítica por certas leituras, de médio gosto, que acaba por afastar leitores. Alguns selos editoriais publicam certas obras apenas pela gana de vender, e acaba por afastar pessoas de bons Nacionais. 

R.L - O que podemos esperar de você daqui para frente?
Mailson - Acabei de lançar no final de novembro, Passeio Pelas Ruas dos Outros. Pretendo no momento divulgar "A Cidade" e este novo trabalho, ainda não parei para pensar no futuro. 

Terminamos a entrevista, Mailson Furtado agradecendo pelo espaço e deixando seu recado para novos autores:

"Acredite no seu trabalho, e ao mesmo tempo desacredite dele. Busque sempre ler, pesquisar e aprimorar o que faz. Busque sempre a qualidade no que faz, assim você chegará onde quer..."

Para adquirir os livros do autor, os mesmo estão disponíveis na Livraria Leitura, Amazon ou com o próprio autor no seu Instagram: @mailsonfurtado



Se você gostou também vai gostar de:

6 comentários

  1. Oi!
    Eu soube que o livro ganhou o Jabuti e apesar de não gostar muito de poesias, achei muito interessante e importante que um autor do gênero tenha levado o prêmio.
    A entrevista está ótima. Parabéns!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o autor e adorei a entrevista. Concordo com ele que algumas editoras lançam alguns livros que acabam fazendo o pessoal generalizar a literatura nacional. Eu adoro livros nacionais, então já coloquei o autor na minha meta para 2019!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Que entrevista mais amorzinho! Parabéns por ela, de verdade. Fiquei muito feliz quando descobri quem havia sido o vencedor do prêmio, sao autores assim, que lutam tanto por seus sonhos que merecem esse tipo de premiação!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Também não conhecia o autor, acho que por ter me afastado um pouco da poesia, mas achei uma ótima oportunidade para voltar a ler e também a conhecer outras obras desse gênero. Parabéns pela entrevista!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Não conhecia o autor, mas foi ótimo a oportunidade de saber mais de seu passado e conhecer mais sobre o trabalho dele.
    Muito boa a entrevista e parabéns pelo autor pelo prêmio.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Oi Mairton, como está?
    Eu fiquei embasbacada quando soube que um livro independente ganhou o Jabuti, mas ao mesmo tempo me deu uma felicidade em saber que eles valorizaram a qualidade da obra acima de qualquer coisa.
    Parabéns ao autor pela grande vitória e a ti pela entrevista maravilhosa com ele.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião para nós do Refúgio Literário