NO SOFÁ | CRÍTICA: TED BUNDY - A IRRESISTÍVEL FACE DO MAL (2019)

Por: Pedro Fontes - 06:13

Imagem autoral
Serial Killer. Provavelmente você já ouviu falar sobre alguns, não é mesmo? Bom, de uns anos pra cá, tem-se ouvido muito falar sobre os seriais killers e isso tem se tornado muito mais comum do que pensamos. Antes, apenas em outros países os seriais killers eram bem comentados, bem falados e as pessoas eram bem informadas, principalmente quando haviam muitas vítimas ao redor de um certo local.
Assassino em série ou popularmente conhecido como serial killer é um tipo de criminoso com perfil patológico e características fora do comum de um ser humano. Uma das principais características é a ausência de empatia, de sentir amor, tristeza, perdão. A ausência de sentimentos e com isso, de fato, a frieza terrivelmente notável. Alguns seriais killers tinham prazer em marcar as suas vítimas.
Essas características são visíveis quando você acompanha o enredo de Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal, filme dirigido por Joe Berlinger do qual nos apresenta os dados reais da vida e dos crimes de Theodore Robert Bundy.

Imagem da internet

Ted Bundy era um homem incrivelmente charmoso e claro, ninguém suspeitaria que uma pessoa bonita poderia cometer crimes terríveis. O filme nos conta a história numa linha do tempo de forma indireta, ou seja, de frente pra trás. De início temos a namorada de Ted, Elizabeth Kendall que está conversando com o namorado que fora preso depois de cometer atos chocantemente terríveis e na mesma cena, voltamos para quando o casal se conheceu, um bar. Parte do filme faz esse entrelace entre o agora e o passado, o que é uma linha muito interessante para se conhecer e não é algo fácil de se fazer em uma obra audiovisual nem mesmo escrita (livro).

Ted conheceu Liz e resolveu engatar nesse romance com ela e com a filha dela gerada de outra relação. É mostrado de fato que ele amava a namorada incondicionalmente e a filha também que criava como se fosse dele de sangue. Mas Bundy cometia seus crimes de forma meio escondida da esposa. Ele escolhia sempre garotas jovens e bonitas, uma delas inclusive, era a mais jovem de todas, era uma criança de oito anos. Ambicioso, atraente, inteligente e sedutor, era difícil que uma moça jovem não caísse em sua laia.

Imagem da internet

O filme é uma ótima representação real de um dos seriais killers mais famosos do Estados Unidos, no entanto, infelizmente o filme não mostra os crimes cometidos pelo mesmo. Apenas em uma ínfima parte do filme nos é apresentado uma cena onde realmente mostra Bundy matando uma moça e como ele conseguiu arrancar a cabeça dela. Não direi mais para não dar spoilers (risos).

Imagem da internet

Zac Efron (O Rei do Show) interpreta muito bem o protagonista do qual matou mais de 30 mulheres entre 1974 e 1978; Lily Collins (Espelho, Espelho Meu) deu vida à namorada de Ted e autora do livro “The Phantom Prince: My Life with Ted Bundy” do qual o filme foi baseado. Também temos bons personagens secundários como a Carole Ann, interpretada por Kaya Scodelario (Maze Runner: A Cura Mortal) do qual mostra a única personagem que acredita que Ted seja inocente de todas as acusações do qual recai sobre ele, Jim Parsons (Big Bang: A Teoria) e John Malkovich que interpreta o juiz sobre o caso do Ted. O juiz que julgou os crimes cometidos por Bundy como: “extremamente perversos, chocantemente malignos e vis” e do qual virou o título do filme em inglês.

Para conhecimento geral e para os adoradores de assuntos sobre seriais killers assim como eu, Ted Bundy – A Irresistível Face do Mal é uma boa recomendação para conhecer a vida real por trás desse serial killer. Um filme que eu particularmente achei bem produzido e com um elenco certo de representação.

Se você gostou também vai gostar de:

4 comentários

  1. Obrigado pela referência ao filme,é mesmo algo que gosto de ver e ler. Há algum tempo atrás estive a ler o seu percurso. Macabro mas que nis ensina que nem tudo que luz é ouro,e ele com seu charme conseguia conquistar suas vitimas.adorei 👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Fico muito feliz que tenha gostado da crítica! ♥

      Excluir
  2. Nossa adorei! Eu já li o livro do Ted e vi o documentário da Netflix e por mais que eles falem da mesma pessoa, achei eles bem diferentes, as visões sobre ele são diferentes. Tava bem animada com esse filme, fiquei meio bad porque né, queria ver sangue 😂 Mas com toda certeza vou assistir esse filme o quanto antes!!!!! Adorei Pedro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também esperava o sangue, mas o modo como foi contada a história de vida dele ainda é impactante e excelente. Eu preciso ler e ver o documentário ainda. Que bom que adorou, fico muito feliz! ♥

      Excluir

Deixe sua opinião para nós do Refúgio Literário