TADEU RODRIGUES EM SEU 6º LIVRO CHAMADO 'ENTRELAÇADAS' ABORDA A LUTA CONTRA O SUICÍDIO ATRAVÉS DE TRÊS MULHERES GUERREIRAS

Por: Bruno Marukesu - 16:47

Título da Obra: Entrelaçadas
Autor(a): Tadeu Rodrigues
Selo: Castiçal (Editora Penalux)
Ano: 2015
Relido em: dezembro de 2018
Nº de Páginas: 235
Onde Comprar: EDITORA PENALUX
Livro cedido em parceria com a editora

Três mulheres. Três caminhos. Uma cidade: Lagos. Valentina, 30 anos, encontra uma carta datada de 1958 no porão de sua casa e tudo muda em sua vida. Helena, 18 anos, menina rica que, se quiser se manter viva, precisa percorrer um caminho estranho e dolorido. Carmem, 48 anos, mulher solitária que vive agarrada ao passado de sua família. Entrelaçadas é uma bela história de confronto às armadilhas da vida. Um romance que emociona e envolve o leitor, que se vê lado a lado dessas três mulheres, sentindo seus anseios e seus sorrisos, entrelaçado do início ao fim.

ENTRELAÇADAS acompanha a trajetória de três mulheres que estão crescendo, se desconstruindo e percebendo que viver não é tarefa fácil e que se quiser trilhar por um caminho é necessário tomar as rédeas para não cair nas armadilhas da vida.

 Suicídio é o pano de fundo do enredo, é a linha que liga as protagonistas desta história. Sabe-se que a depressão é o mal do século XXI e que em muitos casos o seu fim culmina em suicídio se não tratado e acompanhado adequadamente. Escrever sobre esse tema, além de ser um desafio para o escritor, é extremamente delicado e pode suscitar, sim, o pensamento suicida no leitor desavisado e despreparado mesmo que o seu objetivo esteja sendo informar a sociedade sobre este mal. Cabe ao leitor precaver-se para não cair nas armadilhas que a mente irá promover.

 Helena é a mais nova do trio e representa os jovens filhos de pais abastados que não conhecem as dificuldades de sobreviver, mas que são íntimos ao descaso familiar gerado pela pressa do dia-a-dia. Tendo como objetivo fugir de casa a mesma acaba caindo em sites que tem como temática o suicídio. Não sei se o objetivo do autor nesse ponto foi criticar a internet, mas se não foi acabou fazendo. Com o avanço das tecnologias e da internet, são inúmeros os conteúdos disponibilizados nas redes tendo poucas fontes, e isso é somente na superfície pois se você adentrar a deep web encontrará materiais que não tem nenhuma censura ou direito autoral. Infelizmente, Helena se viu atraída pelo tema do suicídio e logo passou a se automedicar.

 Automedicação é outro tema comum e que retrata bastante o povo brasileiro que acostumado a não ir em hospitais quando sente algo, seja por ser caro uma consulta em clínica particular ou por não haver estrutura para atender a sociedade em massa, acaba comprando medicamentos falados no boca-a-boca e criam suas farmácias pessoais.

 O que torna incomum a história da Helena é o fato dela ter condições de ter um acompanhamento médico, mas ter optado por escolher o caminho mais fácil ao comprar remédios de uma desconhecida. Assim, vemos a trajetória desta jovem em tentar tirar a solidão que sente através dos medicamentos ignorando o fato que tem uma doença e que sua cultura vem de si mesma tomando as rédeas do corpo e pensamento.

 Carmen, nossa outra protagonista, teve toda a sua história construída a partir da opinião do pai. Não possuía voz alguma, não experimentava sabores novos porque o seu velho não gostava e vivia em uma casa decorada também pelo seu pai. Nunca chegou a conhecer o amor maternal (sua mãe morreu quando era muito nova) e paternal pois o seu pai viveu amargurado por um acontecimento trágico na família e não soube se policiar para não descontar na filha. Logo, Carmen era a sombra do seu progenitor e quando o mesmo morreu ainda continuou sendo essa nuvem só que agora estava sozinha e fazia poucas coisas além de artesanato para presentear familiares e pouquíssimas amigas. Foi necessário Valentina bater em sua porta para ela conhecer o passado de sua família e começar a ter os próprios gostos, a ter sua voz ouvida.

 Valentina, nossa última protagonista, saiu da roça para a cidade grande e por um tempo conseguiu se manter bem em um emprego bom. Infelizmente, acabou sendo demitida por implicâncias femininas e se viu tendo que procurar desesperadamente um novo local pequeno para viver e um emprego para se sustentar. Valentina é a única das três protagonistas que realmente passa por dificuldades e está cara-a-cara com a sobrevivência em seu sentido mais puro. E mesmo em meio a essa procura desesperadora por um emprego qualquer ela se vê enfeitiçada por uma carta encontrada no porão do novo cubículo onde vive e colocou como meta de vida encontrar quem escreveu aquela carta ou algum parente do autor. E é durante essa busca que ela conhece Carmen e tem papel fundamental no crescimento da personagem. Uma se torna a ancora da outra e lendo parece até uma amizade criada desde a infância.

 Coincidência seria algo necessário para ligar a história das três protagonistas que mesmo morando na mesma cidade nunca se esbarram e o autor conseguiu achar esse elemento através da arte contemporânea em uma exposição que traz reflexões do que é viver. Me peguei desejando muito que existisse de fato essa exposição sobre o ser humano e que a sociedade em massa prestigiasse para tentarem refletir e compreender que depressão e suicídio não são frescuras, são doenças e que tem  tratamento se procurar um profissional especializado.

 Com linguagem simples, fluída e narrativa em terceira pessoa, cada capítulo primeiramente apresenta a história de uma das protagonistas. Depois, é alternado entre um capítulo da Helena e outro da Carmen com a Valentina até chegar ao ápice que é quando as três se conhecem.

 Tadeu Rodrigues construiu bem um passado e presente para Carmen, Helena e Valentina. Soube dar voz a elas para não tornar o enredo didático. É improvável não haver uma identificação do leitor com as personagens e isso acontece com delicada realidade na construção das personalidades. Entretanto, devo mencionar que Sâmia - personagem esta que foi um trampolim negativo na vida da Helena - teve o seu fim apagado, ficamos sem saber o que ocorreu com sua história e isso me deu a impressão de que ela foi somente uma marionete destrutiva para a construção narrativa da jovem Helena.

 A edição física tem uma capa que ilustra bem a cidade de Lagos que é onde as histórias se passam. As paginas são amareladas, os capítulos tem a duração perfeita para não tornar massante a leitura, o tamanho da fonte das letras é grande e o espaçamento um pouco largo o que permite a leitura ser extremamente agradável e veloz. E além de tudo isso há pequenos detalhes nas bordas que parecem runas e que dão todo um charme a edição. A editora Penalux, em seu selo Castiçal, arrasou na impressão do livro!

 Recomendo bastante a obra para o esclarecimento da depressão e suicídio. Este livro deveria ser distribuído em todas as escolas públicas e privadas do território brasileiro!

Se você gostou também vai gostar de:

17 comentários

  1. Não conhecia esse título e a premissa me deixou muito animada porque sneti essa uniãi entre as mulheres bem pontuada e adoro isso. Já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. primeiramente, amei as fotos!
    e fique MUITO curiosa pelo livro, que e não tinha ouvido falar antes, pelo tema que aborda, que é sempre algo que me chama atenção. fiquei muito curiosa pra saber a história dessas mulheres guerreiras!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bruno! Adorei a sua resenha, parece ser um daqueles livros que a leitura torna-se obrigatória para nos fazer pessoas melhores, sabe? rs
    Só me preocupo que livros que tratam de suicídio não tenham gatilhos. Mas esse não pareceu ser o caso, segundo a sua resenha - o que é muito bom!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bruno!
    Sua resenha está incrível, super completa! Ainda não conhecia o livro, mas sempre me atraio por essa temática de suicídio, considero um tema bastante relevante e de abordagem necessária. Assim como você, também gostaria que as pessoas parassem de ver problemas psicológicos como frescuras, e acredito que esse tipo de livro abre nossos olhos para essa realidade e gera empatia com quem passa por isso. Já quero ler o livro também. Beijos!

    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Não conhecia esse livro mas já fiquei bem curiosa. Dois temas muito importantes a ser discutido e para levar a reflexão, ao entendimento de muitos que pensam que depressão, suicídio, ansiedades são bobeiras, modinhas.
    Adorei sua dica!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Gostei da forma como expôs a ideia central dessa obra, parece que estou lendo sobre um roteiro de filme, fiquei bem curioso sobre a tramam e a desejo ler na íntegra.

    ResponderExcluir
  7. Oi Bruno!
    Eu não conhecia o livro nem o autor, mas sempre tenho interesse em histórias que tratam de depressão e suicídio. O meu maior problema com esses livros é que muitas veze =s o autor não saber tratar do assunto e isso é muito sério, pois pode passar a impressão errada e até atingir o leitor.
    Porém, me pareceu que o Tadeu sobre trabalhar bem o assunto e fiquei muito curiosa com esse enredo. já coloquei na minha lista.
    A sua resenha está ótima.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Não conhecia o livro, mas é ótimo saber que o autor consegue passar a sua mensagem através do livro. É um tema bastante complexo e que tem que ter bastante cuidado ao aborda-lo.
    Não me interessei pelo livro, mas é ótimo para quem está passando por problemas e precisa de ajuda!

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruno,
    Adorei a sua resenha! Clara e informativa. O livro trata de um tema difícil mas importante. Anotei a dica para ler no Setembro Amarelo. Valeu pela dica!
    Beijos,
    André | Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  10. O livro despertou meu interesse, pois além dos temas tratados serem importantes, sua resenha está muito envolvente, nos lançando ao mundo das três protagonistas e nos fazendo querer conhecer mais. Todavia, eu já tive depressão e já pensei em suicídio num momento muito ruim da minha vida. Faz muitos anos, mas sempre tenho medo de ter uma recaída e por isso não apostarei nessa história. Não é um livro para mim.

    Só espero que tudo dê certo para as protagonistas. Que no fim elas consigam se recuperar e viver plenamente.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Olá! Achei a premissa bem diferente, e embora acredite que o assunto de pano de fundo do livro, o suicídio, deva ter muito mais embasamento e estudos e uma forma mais correta de ser abordado, acho que na premissa do livro, tenha ficado de boa forma. Não conhecia o autor ou o livro, mas achei muito interessante!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  12. Oi.

    Quando você diz que esse livro deveria ser distribuído em todas as escolas públicas e privadas do Brasil, já veio a mente que este deve ser um livro maravilhoso. Quero muito conhecer agora a história dessas três mulheres e toda a trama que as envolve.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Ainda não tinha lido nada sobre esse livro mas enquanto lia sua resenha me peguei curiosa para saber no que essa união resultou, como essas mulheres conseguiram superar seus dilemas. A história é interessante e a mensagem importante.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Ola, tudo bem? Eu estudo bastante sobre literatura e suicidio para as minhas pesquisas na faculdade e não conhecia essa obra, com certeza colocarei na minha lista de desejados porque sei que pode me ajudar futuramente no meu projeto de pesquisa, obrigada pela resenha tão sincera.

    ResponderExcluir
  15. Olá, nunca li nada sobre o assunto de depressão e suicídio. Sempre tive vontade, pois eu acho um assunto bem interessante de ser ler e eu acho que qualquer tipo de leitura como essa é sempre um grande aprendizado.

    Não conhecia a obra e nem o autor. E fiquei bem curiosa para ler essa obra. Sua resenha e as suas fotos ficaram ótimas.

    beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia essa obra ainda, mas ao ver que se abordava o suicídio eu já fiquei animada, porque gosto de livros que abordem temas importantes assim.
    Esse livro parece ter sido bem construído, acredito que seja bem interessante acompanhar as 3 mulheres e que é uma leitura bem reflexiva.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?

    Eu não conhecia o autor e o livro, e de cara eu curti a capa, pois ficou muito bonita. Acho interessante o tema abordado pelo autor, parece ser uma boa e construtiva leitura, bem como acompanhar as três mulheres. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião para nós do Refúgio Literário