CORRO PERIGO

Por: Francine S. C. Camargo - 11:03



“Mas sou minha, só minha e não de quem quiser”(Legião Urbana)

Essa é mais uma da série “Eu sou mulher”. Sim, sou mulher, mas Shakespeare estava enganado, já que fragilidade não é o meu nome. Sim, sei o que quero. Sim, eu nasci mulher e me tornei mulher. Sim, muitos pensam que sabem como pisar no coração de uma mulher. Não, meu barro não pode ser decantado facilmente em uma canção. Sim, há sempre algo novo a aprender sobre mim.

Mas não sou um perigo para qualquer paraíso. E, no entanto, corro perigo.

Uma quase breve história:

Estudante de 18 anos sai de sua casa na periferia de São Paulo, em direção ao cursinho, e pega um daqueles ônibus bem conhecidos aos iniciados na arte do transporte público, atolado, cheio de vidas tentando atingir seus rumos. São 6h da manhã e o dia urge, e ela fantasia de todo o coração não perder os primeiros quinze minutos de aula como de costume. Em um dos braços, carrega uma apostila e alguns livros que usará nos intervalos das aulas; no outro, uma bolsa estilo mochilinha, colocada de lado a fim de sentir-se mais segura, afinal já eram tempos violentos, mesmo há 20 anos. Nada carregava de valor na bolsa que mal aprendera a reconhecer a utilidade. Viajava com as mãos ocupadas, mas a mente etérea argumentando com todas as suas faces sobre a possibilidade do futuro mais longínquo. Até que ela sente. Bem atrás dela. Mas acredita ser um engano e busca, então, novo posicionamento o que é utópico, pois não há mísero espaço sequer para piscar. Impõe a si mesma essa autoria de que o micrômetro que se mexeu teria sido suficiente para desvencilhar-se daquele volume que se encostava em seu quadril. Mas não foi. Olha para as pessoas sentadas diante dela, as mesmas em quem, a cada freada do ônibus, seus materiais são comprimidos. Ela as incomoda e a devolutiva de olhar quer dizer mais ou menos que “pouco me importa o que você sente, sou eu que estou desacomodada com esses livros a me bater”. O que querem é chegar, não importa onde ou às custas do quê. E ela, a estudante, é só mais uma...mulher.

Tão mulher que o tipo atrás só quer se escorar cada vez mais e se friccionar. Assim, ela grita intimamente, mas o som silencia. Pois lhe é permitido ficar calada. Quando percebe, seu ponto está chegando e é hora de procurar algum espaço para chegar à porta de saída, e agarra-se a essa oportunidade. Porém sente a presença dele atrás de si, feito sombra a seguir seus passos, embora não ouse estabelecer qualquer contato visual. Não deseja conhecer o rosto daquele que lhe roubou o equilíbrio e a inocência. Tampouco quer ser vista.

Ela desce no ponto seguinte e caminha na maior velocidade que os pés podem servi-la. E ele a rastreia:

- Vai dizer que não foi gostoso?

Novamente ela grita e ali, na vida real, o som sai abafado:

- Não. Me deixe em paz!

E já se vê à porta do cursinho, entra correndo com o rosto inflamado, o coração inteiro em chamas e, sobretudo, uma raiva inanimada de si mesma.

Sim, ela sofreu assédio sexual. Mas nunca se ouviu nada de seus lábios, pois a culpa a emudeceu.

Não, não quero só diversão. Não, não mereço um tijolo na testa. E não sou Maria Ninguém.

Sou mulher sim. Mas corro perigo.

Se você gostou também vai gostar de:

50 comentários

  1. Palavras profundas, que descreve a infeliz realidade de muitas mulheres dentro dos transportes públicos do país e como disse, a ela foi dado o direito de se calar. Quantas não passam por isso e simplesmente se culpam pela situação, aprendemos de berço a nos dar o respeito, mas esquecem de ensinar aos homens a respeitar.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por passar por aqui, Camila. "Sou uma mulher que balança, sou uma criança que atura" (Martha Medeiros)

      Excluir
  2. Oi, tudo bem?
    Gostei muito do texto, pois o mesmo narra de forma muito realista algo que acontece frequentemente com as mulheres. E é tão triste ler isso e falar que é uma realidade, pois é doloroso passar por algo assim e como o texto diz, as mulheres não gritam sobre esse assedio porque se sentem culpadas... Enfim, é revoltante o quanto nós, mulheres, corremos perigos e é muito importante falar sobre isso, por isso parabéns pelo post.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa, tudo bem e contigo? Obrigada pelas suas palavras. "Mulher lua, a outra face, a face nua...o que é mistério, o que se espera...o que é firme, o que é beleza...o nascimento, a incerteza." (Rayme Soares)

      Excluir
  3. Muito interessante o texto.
    É triste pensar na realidade das mulheres que crescem mudas e se sentem incapazes de reagir a agressões que sofrem diariamente.
    Abraço
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Camila.
      "E ela não passava de uma mulher... inconstante e borboleta." (Clarice)
      Beijos

      Excluir
  4. Olá, tudo bem?

    Que texto. Que palavras. E que triste realidade. E parece que isso não terá fim. E infelizmente, nem todas conseguem ter voz para se defender e denunciar. E quando tem, sentem medo por ninguém acreditar.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laneeh, muito obrigada.
      "Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores.
      (Cora Coralina)

      Excluir
  5. Olá! Só uma mulher sabe o que é ler esse texto e sentir exatamente o que é descrito. medo, culpa, insegurança. Eu fui lendo e sentindo um gosto amargo na boca, de ódio e tristeza e, saber que isso acontece todo santo dia, e em sua maioria esmagadora, ninguém é responsabilizado por nada. É horrível pensar que por somente ter nascido mulher, estejamos sujeitas a isso. Eu escolho acreditar que algum dia, vai ser diferente. Amém.

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline. Esse gosto amargo não sai mesmo da boca, não importa quantos doces a gente tente ingerir para disfarçar o sabor.

      "Oh! como és linda, mulher que passas
      Que me sacias e suplicias
      Dentro das noites, dentro dos dias!" (Vinícius)

      Excluir
  6. Eu achei esse texto um retrato da realidade brutal da mulher, principalmente porque já passei por isso várias vezes. Medo, culpa, insegurança e mais culpa - culpa por ter um corpo "chamativo", culpa por ser mulher, culpa por não ter falado nada ou culpa por ter falado e ser chamada de histérica e sentir vergonha por isso.
    Às vezes ser mulher é um fardo.
    Mas mil vezes o meu fardo do que ser um homem escroto sem cérebro (e o mundo está cheio deles, diante de muitos que ainda se salvam).
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucy...culpa, culpa, culpa...como ela nos acompanha, não?

      "Teus sentimentos são poesia
      Teus sofrimentos, melancolia." (Vinícius)

      Beijos.

      Excluir
  7. Infelizmente esse é o retrato do que a maioria das mulheres passa diariamente no mundo. Infelizmente temos que viver e correr o perigo, só precisamos ser fortes e darmo-nos forças para que nenhuma de nós fique mais muda!

    Ótimo texto e muito reflexivo!

    Beijos
    Carol
    www.thereviewbooks.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carol.

      "Me nego a viver em um mundo ordinário como uma mulher ordinária.
      A estabelecer relações ordinárias. Necessito o êxtase. Não me adaptarei ao mundo. Me adapto a mim mesma." (Anaïs Nin)

      Excluir
  8. Oi, Francine
    É, é doído ser mulher. E é doído ser lembrada desse tipo de situação que acontece todo dia, toda hora e em todo lugar (sejam ônibus, metrô, filas...). A gente não pode ficar distraída nenhum minuto fora [e em muitas vezes também dentro] de casa, senão o mundo [para não falar outra coisa] nos engole - e não, a culpa não é nossa.
    Sejamos fortes e lutemos bravamente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vitória. Sim, a força vem de não deixar que esse mundo não nos engula, pois quem tem sede e fome somos nós.
      Beijos.

      Excluir
  9. Oi tudo bem? Esse texto mexe muito com nós por ser mulher, vivemos num conceito onde a mulher é culpada das coisas ruins que lhe acontece, pois deu confiança, roupas curtas, maquiagem extravagantes, mas somos fortes e temos que exigir respeito. Somos prisioneiras dentro de um sistema machista, adorei esse texto é profundo, ao mesmo tempo é revoltante e triste pois é uma situação vivenciada por muitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris, tudo bem e você?
      "A dor que sente não tem nome. Brota das razões mais secretas da alma." (Padre Fábio de Melo)

      Excluir
  10. Oi
    Fiquei com um no enorme na garganta quando li o seu texto, pois infelizmente é a realidade de muitas mulheres que tem suas vozes silenciadas. Somo consideradas o famoso sexo frágil, mas quem deu esse nome, mesmo? Com certeza não era uma mulher, pois nós sabemos que de frágil não temos nada. Hoje somos julgadas e assediadas até pelo modo que falamos, agimos ou até mesmo sentamos. Eu tenho fé que um dia tudo isso irá acabar que nossa voz será mais ativa e que vamos parar de receber a culpa de uma violação contra o nosso corpo só por que estamos fazendo algo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Debaixo da maquiagem e por trás do meu sorriso, eu sou apenas uma menina que deseja o mundo."(Marilyn Monroe)

      Excluir
  11. Oiii,

    Que texto interessante. So nós sabemos como é difícil ser mulher hoje, como nos classificam e como realmente corremos perigo única e exclusivamente por sermos mulheres. Adorei mesmo o texto e espero que ele alcance muitas pessoas mais <3

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aninha.
      Obrigada pelas palavras.
      "Guarda-Me, Como a Menina dos seus Olhos.
      Ela é a Tal, Sei que Ela pode ser Mil, Mas não existe outra igual."

      (Chico Buarque)

      Beijinhos

      Excluir
  12. Oi,
    Estou em choque, sério. Eu tenho muito medo de algo assim acontecer comigo e fiquei em choque quando percebi o que estava acontecendo com essa "protagonista". Eu acho que, além de sofrer o abuso, o pior é ouvir as pessoas falarem que foi culpa da mulher. É péssimo ter vergonha de algo que outro fez errado.
    Amei seu texto, que ele alcance muitas pessoas ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna.

      "Põe no cabelo uma estrela e um véu
      e diz que caiu do céu.

      Esta menina
      tão pequenina
      quer ser bailarina.

      Mas depois esquece todas as danças,
      e também quer dormir como as outras crianças." (Cecília)

      Obrigada pelas palavras. Beijos.

      Excluir
  13. Olá!
    Que texto incrível, tão profundo e que infelizmente mostra uma verdade nua e crua que muitas mulheres passam. Confesso que tenho verdadeiro pavor só em imaginar a situação e por isso seu texto é bem impactante.
    Espero que muitas pessoas consigam ter acesso as suas palavras e possam refletir também.
    Somos mulheres e merecemos respeito.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila, obrigada pelas suas palavras.

      "Não tenho mais os olhos de menina
      nem corpo adolescente, e a pele
      translúcida há muito se manchou.
      Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
      agrandada pelos anos e o peso dos fardos
      bons ou ruins.
      (Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)" (Lya Luft)

      Beijos

      Excluir
  14. Ooi,
    Adorei o texto e quase pude sentir o desespero da protagonista. Infelizmente esse é nosso estado constante, correr perigo é nossa realidade. Gostei bastante do texto e achei muito boa sua escrita, parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Vitória.

      "Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários." (Cris Carvalho)

      Beijos

      Excluir
  15. Essa realidade do assédio é uma situação bem triste que ocorre na nossa sociedade, ótima crônica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O que há de mais seguro, também corre perigo."

      Engenheiros do Hawai

      Excluir
  16. Tão triste, tão revoltante. Que não nos roubem a voz para seguir reivindicando por justiça quando nos sentimos assediadas, violadas e abusadas.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O perigo não nos é externo, nenhum muro nos separa do inimigo. Ao contrário, os perigos mortais estão dentro de nós."

      Sêneca

      Beijos, Ivi.

      Excluir
  17. Olá!

    Tão real, revoltante e recorrente que chega a dar nojo. Enfim, só nós mulheres sabemos o que ser quem somos e o pior é que nem culpa de ser mulher nós temos. Espero que possamos nos unir no caminho até o cursinho, ao trabalho, para casa ou em qualquer lugar. Parabéns pelas palavras.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Entre as pequenas coisas que não fazemos e as grandes que não podemos fazer, o perigo está em não tentarmos nenhuma."

      Confúcio

      Beijos.

      Excluir
  18. Caramba, que real.
    Acho que toda mulher já passou por uma situação assim ou parecida. Seja a escorada no ônibus, ou uma palavra vulgar no meio da rua, e é sempre desconcertante e cruel. Espero que um dia, a gente viva em um mundo onde coisas como no seu texto sejam uma mera lembrança, ao invés da realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Quem escapa do perigo vive a vida com outra intensidade."

      Machado de Assis

      Excluir
  19. Olá, tudo bem? Que texto duro, mas infelizmente real... É muito triste o que temos que enfrentar dia após dia, principalmente quando sofremos caladas. Amei o texto!

    Beijos,
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "No entanto, estaremos sempre em perigo enquanto soubermos tão pouco sobre nós mesmos."

      Martha Medeiros

      Beijos, Larissa, obrigada.

      Excluir
  20. Oie!
    Que triste realidade, infelizmente muitas mulheres passam por isso diariamente. Um ótimo texto, que faz refletir e incomoda, mas que é muito rela.
    Gostei muito!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Nós precisamos entender melhor a natureza humana, porque o único perigo real que realmente existe é o próprio homem."

      Carl Jung

      Beijos, Carla, obrigada!

      Excluir
  21. Olá, tudo bem?
    Que texto sensacional! É triste, mas forte e reflexivo.
    Infelizmente, é uma realidade que muitas mulheres vivenciam todos os dias. Além do assédio, ainda há o julgamento e a culpabilização que calam as vítimas .
    Parabéns pelo texto! Por mais difícil que seja, é um assunto sobre o qual precisamos falar e refletir.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Corro perigo
      Como toda pessoa que vive
      E a única coisa que me espera
      É exatamente o inesperado"

      Clarice Lispector

      Obrigada, Maria Luíza.

      Excluir
  22. Deus! Que texto maravilhoso! E quanta verdade! Sim, corremos perigo. O tempo todo. Somos assediadas, menosprezadas, tratadas com desdém e desrespeito. E dia a dia lutamos pelo nosso espaço, travando uma batalha contra a própria sociedade que não deixou de ser machista.

    Não podemos estudar ou trabalhar em paz. Ir à festas, baladas, ao cinema. Usar as roupas que queremos, passar o batom que desejarmos. Tudo é motivo de crítica. É desculpa para o assédio e a opressão. Somos mulheres. Livres, mas tendo que lutar todos os dias, com unhas e dentes, para mantermos nossa liberdade.

    Amo seus textos!

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Há mais perigo em teus olhos do que em vinte espadas!"

      William Shakespeare

      Obrigada, querida! Bjs

      Excluir
  23. Olá,

    É assustador ser mulher, às vezes! É horrível sair na rua e ter que ficar olhando por cima do ombro, não poder relaxar e estar em constante vigília, a sensação não poderia ser pior. Gostei da realidade impressa em seu texto.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O medo nunca está no perigo, mas em nós."

      Stendhal

      Obrigada, Thayenne. Beijos.

      Excluir
  24. Olá!
    é assustador vê e ler essas coisas, eu tenho uma medo danado dessas coisas, e já tenho como precaução sentar sempre na ponta, nunca que fico no canto mais, por puro medo. É triste você entrar em um ônibus e ficar já com medo e escolher o lugar para sentar, infelizmente é muito triste, espero por dias melhores!

    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O medo do perigo é mil vezes pior do que o perigo real."

      Daniel Defoe

      Obrigada, Tahis. Beijos.

      Excluir
  25. Hey!
    Quando leio textos como esse, vivendo na nossa sociedade chega a ser surreal o quando dói e, o quanto ser mulher é devastador.
    Queria que mais pessoas ou o mundo todo lê-se e tomasse consciência do quanto somos desrespeitadas.
    Você foi mais do que realista aqui.
    Beijos
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  26. "Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem perigo."

    Marquês de Sade

    Obrigada pelo carinho. Beijos.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião para nós do Refúgio Literário