sexta-feira, 6 de abril de 2018

[RESENHA] MELHOR QUE SEXO!

Autor (a): Luiz Cláudio Siqueira
Editora: Autografia
Ano: 2017
Lido em: fevereiro de 2018
Nº de Páginas: 184
Onde Comprar: AMERICANAS
Livro cedido gentilmente por Andréa Drummond
Melhor Que Sexo! é uma seleção de crônicas de temas variados como amor, paz e gratidão, que irão fazer o leitor ver que a felicidade é possível para quem cuida do seu lado espiritual e sabe viver sabiamente. Os textos são pequenos e a leitura irresistível, daquele tipo que você não tem vontade de parar. Dá só uma folheadinha. Você vai ver que para cada crônica, há uma bela ilustração. Este livro é um grande presente pra você e pra quem você ama.
 MELHOR QUE SEXO! reúne 69 crônicas escritas pelo autor nacional Luiz Cláudio Siqueira no período de 2015 a 2017, chegando a reunir uma crônica datada de 2011, onde a proposta é abordar  temáticas sobre família, relacionamentos e atitudes cotidianas da nossa sociedade.

 Crônicas em sua maioria trazem a identificação, possuem o poder de reconhecimento perante o público geralmente com crítica bem humorada aos fatos cotidianos que vemos ou ignoramos. Infelizmente, não encontrei essa identificação ou muito menos um tom humorístico na presente obra.

 Em cento e oitenta e quatro páginas percebi uma obra perder sua força na medida em que lia. Ao invés da crítica construtiva e reflexiva ser o objetivo dessa coletânea li foi explicitamente a opinião pessoal do autor, onde julga os comportamentos humanos baseado no que a sua religião dita como certo, correto e bom. O incomodo foi inevitável uma vez que as experiencias pessoais sejam elas boas ou ruins te moldam a ser uma pessoa melhor, te fazem ser esse ser individual convivendo no coletivo. Não é correto ditar manuais tentando traçar caminhos pré-definidos porque foi seguindo contrário a  mare que grandes pensadores, cientistas e profissionais revolucionários trouxeram evolução em processos antes considerados impossíveis, melhorias de trabalho e lazer para tornar o dia-a-dia das pessoas pelo menos um pouco agradável no presente.

 Sabemos que uma narrativa literária sempre terá a opinião da pessoa que a escreve. Quando não usamos o nosso senso crítico de forma reflexiva e não buscamos a inclusão acabamos caindo nos pensamentos antiquados/ultrapassados, tornamo-nos ditadores onde a realidade atual perde o seu valor e espaço, e vivemos um passado que deveria ser aceito como uma vírgula na linha da história e não como o ponto final. Acaba que ao invés de trazer alerta para temas contemporâneos afasta potenciais leitores atingindo somente um público: o que pensa igual a você.

 Se formos fazer uma comparação da visão que o autor têm a cerca do que é certo e errado nas atitudes humanas é só pensar na nossa sociedade do passado não muito distante onde jovens se casavam não porque se amavam, mas porque eram obrigados por suas famílias em troca ou busca de dotes, ou nos casos quando se buscava um prazer momentâneo, juvenil, e engravidava a parceira também eram obrigados a se casar para não cair na "desonra" da reputação que hoje em dia não significa nada pois tem tantas pessoas de reputação excelente mas são exímios enganadores. Tais preceitos antigos são ferramentas de uma era onde o pensar crítico não existia e o livre-arbítrio era limitado e extremamente influenciável.

 Conclui a leitura da obra com decepção. São muitas crônicas que infelizmente são repetitivas e rasas em suas abordagens onde poucas vi valor reflexivo e positivo para os leitores e que pudessem abrir discussões enriquecedoras ou empoderadoras.

 Mas em meio a areia, O ABRAÇO é uma deliciosa crônica. Ela, sim, carrega os elementos do gênero literário a que se enquadra onde Luiz Cláudio traz reflexão para o ato de abraçar, rompe barreiras e mostra que num abraço não existe opiniões pessoais, há somente o ato de trazer felicidade a quem tanto necessita, e quem já recebeu um abraço apertado ou demorado num momento recheado a sentimentos diversos e/ou conflitantes sabe o quão bom é receber esse gesto. Outro boa crônica que vale o resgate e o seu mérito é PONTOS E PESSOAS que aborda sobre os diferentes tipos de pessoas onde me identifiquei de cara com as que se parecem com dois pontos.

 Para um primeiro livro publicado o autor tem muito a trilhar se busca ser um cronista de qualidade, humildade e que traga identificação e reflexão junto ao leitor.

 Com uma escrita ainda assim fluída a obra possui páginas amareladas, algumas ilustrações lindas, fonte das letras mediana e espaçamento confortável entre as linhas para não trazer incomodo aos leitores.

SE VOCÊ GOSTOU TAMBÉM VAI GOSTAR DE:

22 comentários:

  1. Hello! Tudo bem?
    Ainda nao conhecia o livro e me chamou a atenção por ser uma obra de cronicas, sempre gosto desse tipo de texto pelo seu teor reflexivo e de como em outras palavras consegue transmitir varias coisas.
    Uma pena que nao seja todos os textos bons, mas por ser o primeiro livro, acho que foi uma grande vitoria a publicaçao.
    Apenas nao gostei mto da capa, achei colorida demais, um jeito meio brega de chamar a atencao, hehe.
    Adorei a sua resenha sincera.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Apesar de gostar muito de crônicas eu passo a dica logo de cara. Ontem mesmo eu postei no meu status: Não vejo problema em usar a religião como muleta para se erguer e encarar a vida, o problema é usar a muleta para bater na cabeça dos outros.
    Cada um pensa o que quiser de certo e errado e não vai ser um livro que vai mudar isso, caso fosse todos viveríamos o cristianismo, já que a bíblia é o livro mais vendido do mundo. A edição está linda e que bom que pelo menos uma crônica se salva.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruno!

    Tudo bem? Tem anos que li crônicas pela última vez e isso tem um motivo de ser muito pessoal.

    Sobre o tema abordado, não leio textos que usam a religião para apontar determinados tipos de comportamento e julgar o que é certo ou errado dentro de um paradigma que é, antes de mais nada, absolutamente pessoa e intransferível na minha concepção. Por isso vou passar o livro.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Tinha me interessado pelo nome, quando pensei que fosse uma obra que trabalhasse de sexualidade, mas lendo sua resenha, já sei que vou odiar, então nem vou perder tempo passando perto.
    Sei que cada pessoa tem sua visão sobre o mundo e que o autor tem direito de colocá-la em seu livro, mas evito ficar lendo pensamentos retrógrados que já conheço desde que sou pequena. Quero coisa nova rsrs
    Gostei da resenha :)

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Meu deus, não conhecia esse livro e tampouco fiquei curiosa em ler, não gosto de livros que são escritos por pessoas que acham que o que creem e que julgam apenas isso certo, sabe? Acho que falta um caminho muuuuuito longo para eu desejar ler um livro dele.
    Adorei sua sinceridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Tudo bom?

    Ainda não tinha ouvido falar do autor ou do livro, mas fiquei bem curiosa por causa do titulo da obra haha. Fiquei curiosa do porque escolheu esse titulo para o livro. Uma pena que foi decepcionante para você, confesso que tampouco me agradou o que li a respeito, mas adorei ler sua opinião sincera sobre ♥

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Tô louca atrás desse livro. Será mesmo que é melhor que sexo? De que tipo né? Devido a sua decepção hahahaha enfim, achei um título ousado. Nem sempre tô no clima para ler crônicas, mas, a capa e o título realmente me pegaram pra cristo e não consigo tirar o livro da cabeça. Espero encontrar numa livraria física. Adorei a resenha, beijoos!!

    ResponderExcluir
  8. Eu confesso que se fosse pelo título eu acabaria não comprando. Mas agora que li sua resenha, pude ver que é bem diferente do que eu imaginei. Mas acho que ainda não chegaria a ler o livro. Mesmo parecendo ser legal, não senti vontade e nem atraída para a leitura.

    ResponderExcluir
  9. Admiro a sua persistência, pela resenha a leitura parece ter sido bastante complicada, nao somente pelas crônicas serem rasas mas por reforçarem algumas coisas né? Uma pena quando isso acontece mas de qualquer modo vale a reflexão.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Se eu fosse compulsiva, compraria esse livro pela capa. Até por ser de crônicas ele poderia ter meu interesse, mas infelizmente eu não leio livros de cunho religioso.
    Acho muito estranho ler a opinião de outras pessoas sobre suas crenças e descrenças. Prefiro não ler esse tipo de coisa.
    Mas adorei seu capricho com as fotos.
    Beijos
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, ainda não conhecia esse livro. Achei o título curioso. A capa passa uma ideia aparentemente diferente do que encontramos no livro. Pena que as crônicas não tenham lhe agradado, ficou ótima a sua resenha.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?Meu deus, que pena em cento e oitenta e quatro páginas a obra perde sua força . Não conhecia esse livro e fiquei curiosa em ler.Adorei sua sinceridade.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi Bruno, nunca li um livro só de crônicas, não sei se iria gostar da experiencia, principalmente por serem acontecimentos reais do autor, mas tenho curiosidade, se surgir a oportunidade, eu leio.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. oi, Bruno. falou em regra religiosa, corro pra longe. affs haushaUSHUAHSUAS
    amo crônicas mas com certeza passaria distante desse livro, como você pontuou, ele me parece um retrocesso...

    ResponderExcluir
  15. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro ainda, e também não fiquei muito curioso... Que pena que não te agradou...

    Enfim, não sou grande leitor de cronicas, mas o pior é se elas são assim tao sem sal, sem reflexão ou material para isso acontecer!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  16. Oii!
    Não conhecia o livro e confesso que não sou fã de crônicas! E que pena que esse livro não te agradou! Realmente não acho que gostaria também de ler apenas as opiniões do autor. Não me despertou o interesse nenhum pouco o livro ainda mais depois da sua opinião!! Adorei sua sinceridade em retratar a experiência de leitura!!!

    Bjs
    Blog Perdida nas Nuvens

    ResponderExcluir
  17. Olá Bruno!
    Que pena que a leitura não tenha sido aquilo que você esperava. Talvez se tivesse um número menor de crônicas ou uma seleção pra não repetir tantos assuntos teria sido melhor aproveitada. Gostei da capa colorida e de conhecer sua sinceridade com os textos lidos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Olá! A capa e o título chamam atenção mas pela sua resenha eu não leria pois vc citou pontos que achou negativos que eu sempre levo em consideração..E é sempre bom tirar algo de proveitosos de um livro mas pelo visto esse não trouxe muita coisa.. Eu passo a dica e amei a sinceridade da sua resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Boa noite!
    Adoro livro de crônicas, mas não me interessei muito ao saber que o autor coloca muitos de seus julgamentos, principalmente por conta de religião, em suas histórias. Não leria, porque sei que vou me decepcionar também. :/
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  21. Não tinha visto este livro ainda. Interessante os temas que os contos levantaram,com certeza levarão a muitas reflexões.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? Já vi que tem imposição de opiniões do autor, eu corro hehehe realmente é difícil quando um assunto que poderia ser melhor debatido nos decepciona. Acho que todos tem o direito de ter uma opinião própria, mas quando passa isso para um livro, para um papel que pode ser lido por milhares de pessoas, realmente devemos ter cuidado com a nossa opinião. Triste que não tenha funcionado!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe-nos sua opinião sobre esta postagem.